webometria, cibermetria, altmetria...

estudos métricos da informação e muito mais

Categoria: gramática

Applets fáceis para todos os gostos (IFTTT e Zapier)

Sabe aquelas coisas que seriam muito mais fáceis se fossem automatizadas, mas você não sabe como fazer? Como guardar numa planilha do Google o que andam comentando no Twitter com uma hashtag, ou salvar no Dropbox as fotos que você curtir no Instagram. Para isso existem as páginas que oferecem Applets gratuitos.

O Applet é um pequeno programinha que faz uma ação específica. Pode ser dentro de um programa maior, ou mesmo em interface com um ou mais programas. No mundo onde a Web é a plataforma (uma dos pressupostos da Web 2.0 – gostemos ou não desta conceituação), basta que este pequeno software tenha as chaves certas para os devidos serviços web para a mágica acontecer.

O que eu tenho usado e gostado é o IFTTT (Acrônimo de If This Then That – em inglês o termo exato deste tipo de acrônimo é chamado de initialism, pois não se pronuncia como uma palavra). Ele funciona inclusive integrando serviços e apps do Android e do iOS. Já de funcionando apenas para sistemas “web based” temos também o Zapier, que tem 10x mais integrações que o IFTTT, o que significa que se você quer algo mais fora da caixa, certamente ele deve ser sua escola.

Zapier vs IFTTT

Zapier vs IFTTT

Até aqui tenho usado para poucas situações, mas já vi alguns casos em que o IFTTT foi de muita utilidade para algumas pessoas. Os sistemas são bem simples, mas têm como único inconveniente o fato de ser necessário confiar suas senhas para os serviços de que se deseja integar à um terceito (o IFTTT ou o Zapier). Isso obviamente levanda uma bandeirola de alerta de segurança, e neste caso, para algumas coisas, o melhor é criar uma conta separada da sua de uso contidiano para usar no seu projeto.

De resto, é explorar e se surpreender. Se você achou uma solução para um problema lá, ou um uso super legal, comente. Vou adorar saber. 🙂

 

 

Compartilhar, Enviar, Imprimir?Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on RedditEmail this to someonePrint this page

Plurais metafônicos – quando um plural tem um timbre nada singular

Como se pronuncia o plural de tijolo?

Como se pronuncia o plural de tijolo?

Sabe aquela palavra que você conhece direitinho como se pronuncia? Aquela que com toda a sua forma “singular” nunca lhe causou desconforto diante dos outros ao usá-la? Bem, se não for uma, mas duas ou mais da mesma, seu plural pode lhe pregar uma peça! De um som fechado, tenor, circunflexo, pode sair um plural aberto, soprano, agudo e surpreendente. Mas não são todos os substantivos que têm esta essência de mudança que quando vão ao dobro ou mais além se expressam num alegre florescer. 🙂

Curiosamente isto só ocorre com os certos substantivos masculinos, e nem todos se mantiveram com o tempo. Dizem que no Brasil a metafonia não faz muito sucesso e que a nossa tendência é manter o mesmo timbre para o plural. Erro comum de pronúncia – eu mesmo fui corrigido outro dia – é daquelas coisas que ou aprendemos e temos na cabeça ou… oops, erramos. Mas apesar de parecer algo a ser decorado, palavra a palavra, algumas regrinhas podem salvar você (se lembrar das regras, claro!). Particularmente penso que é mais fácil guardar as palavras que mais usamos e deixar as regras para a hora do sufoco, com uma natural correção a seguir, se erramos, o que de fato ninguém está livre. Seguem as regras, não tão simples, e é claro, com suas exceções. E daqui em diante, atentem que os acentos com as letras em maiúsculas são apenas para referência da pronúncia, ok?

O timbre é sempre fechado para os casos onde existe uma consoante nasal (n ou m)

colÔno => colÔnos

pÔmo => pÔmos

mÔço => mÔços

Quando há feminino para o substantivo, o plural do masculino terá o timbre do singular feminino (mulheres, nem sempre vocês perdem no português!)*

Ôco – Ôca => Ôcos

nÔvo – nÓva => nÓvos

pÔrco – pÓrca => pÓrcos

Uma exceção é no caso de sÔgro que apesar do feminino sÓgra tem o plural seguindo o patriarca, dai… sÔgros. 🙁

* ok, o caso do “sogro” demonstra que realmente o português não é justo com vocês!

Se tudo mais falhar, mas ainda estivermos com um substantivo masculino, a tendência é que o timbre seja aberto no plural, mas tens que consultar uma lista para saber. Uma dica é que se ele termina em “porto” ou “oso” certamente é metafônico.

pÔrto => pÓrtos

Ôsso => Óssos

despÔrto => despÓrtos

fÔgo => fÓgos

Ôlho => Ólhos

fÔrno => fÓrnos

Já para os substantivos femininos é fácil, não há metafonia, e ponto final.

bÔlha => bÔlhas

fÔlha =>; fÔlhas

mÓda => mÓdas

Mas ainda temos que ter algum cuidado com isto. Diferenças existem no português falado pelo mundo e a metafonia no plural tem suas peculiaridades regionais. Em todo caso, segue um vídeo ilustrativo para aprender um pouco mais da língua portuguesa. 😉

Compartilhar, Enviar, Imprimir?Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on RedditEmail this to someonePrint this page

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén